Exposição Azul Cobalto - Azulejos e memórias. 

Coleção Nelson Torzecki

 

          Um objeto polissêmico portador de múltiplos significados. Produtos da vida cotidiana presente e pretérita, capazes de revelar traços marcantes da sociedade que aqui se formou. Material perfeitamente adaptado à vida nos trópicos, cumprindo uma função utilitária e decorativa, capaz de desvelar influências, gostos, redes de comércio, relações, estórias e memórias. Elemento ao mesmo tempo abrangente, capaz de descrever parte do progresso técnico e cultural da Sociedade Ocidental, restrito e particular, uma vez que foi testemunho da vida cotidiana e doméstica nas cidades. Apresentar parte dessa história é o que pretende a exposição Azul Cobalto – Azulejos e Memórias.  

           No final da década de 80, o colecionador e empresário Nelson Torzecki foi seduzido pela arte do azulejo. Contando com o apoio do amigo e sócio Plinio Froes, o colecionador foi mergulhando cada vez mais em sua paixão, e entre feiras e antiquários, foi garimpando essas joias do passado. No decorrer de sua trajetória Nelson Torzecki acumulou um acervo ímpar, constituído por mais de duzentos tipos diferentes de azulejos, totalizando cerca de 3.000 itens, que vão de  peças avulsas a grades painéis azulejares. Esses fragmentos da história, pertencentes a residências, prédios, palacetes e outros tipos de imóveis demolidos ou desocupados nas mais antigas capitais brasileiras consubstanciam-se em um dos mais importantes acervos dentro das linhas de pesquisa da urbanização das cidades, com especial destaque para o Rio de Janeiro. No intuito de reafirmar seu compromisso com o desenvolvimento social e cultural da cidade do Rio de Janeiro, o Instituto Rio Scenarium catalogou e selecionou as principais peças da Coleção de Azulejos Nelson Torzecki, a fim de apresenta-las para o grande público.   

         A exposição traz azulejos produzidos em distintos países, como Holanda, França, Bélgica, Portugal, Alemanha e Inglaterra, e discorre sobre a evolução técnica e estilística destes objetos, presentes na arquitetura brasileira desde o século XVII. Da Coleção de Azulejos Nelson Torzecki, destacam-se os acervos de azulejaria holandesa de motivo isolado, produzidos entre os séculos XVII e XX; os azulejos Barroco e Rococó, elaborados em Portugal nos séculos XVIII e XIX, incluindo um antigo painel da igreja do Convento de Santo Antônio, situado na cidade do Rio de Janeiro; traz ainda Registros de Santos existentes nas antigas casas de subúrbio e outros inúmeros azulejos produzidos entre o final do século XIX e inicio do XX, que integraram os interiores e fachadas das edificações de nossas cidades.

             Cedido pelo IPHAN, será exposto parte de um painel inédito elaborado por Cândido Portinari para o Palácio Gustavo Capanema, prédio considerado um marco na arquitetura modernista da cidade e do Brasil. A exposição também trará  peças cerâmicas produzidas por outros grandes artistas brasileiros como Ivan Serpa, Anísio Medeiros e Burle Marx. O tema da azulejaria na contemporaneidade será referenciado nos trabalhos de Adriana Varejão, Jorge Selarón, e o Coletivo Muda do Rio de Janeiro.

      A exposição Azul Cobalto – Azulejos e Memórias se insere na primeira etapa do desenvolvimento do Circuito Colaborativo Arte e Cultura Scenarium, que visa identificar, selecionar, pesquisar, catalogar e organizar o acervo de obras de arte e antiguidades, acervos documentais, objetos decorativos e mobiliário que compõem o acervo do Grupo Scenarium, buscando reconhecer seu interesse histórico e cultural e, consequentemente, seu interesse público, permitindo assim, sua  incorporação definitiva à Coleção do Instituto Rio Scenarium.

 

Serviço

Exposição Azul Cobalto – Azulejos e Memórias

Horário: A partir do dia 06/11 de terça a sábado, de 13h às 19h

Local: Galeria Scenarium – Rua do Lavradio, 15 – Centro Antigo – RJ

Entrada: Franca

 

 

 

:: ATIVIDADES ::

 

Atividades lúdico pedagógicas para usuários infanto juvenis, universitários e público em geral da exposição Azul Cobalto, Azulejos e Memórias.

- Calendário - palestras e oficinas

 

Novembro

Novembro

*4 mesas redondas *2 oficinas

Dezembro

Dezembro

*2 oficinas

Janeiro

Janeiro

*4 oficinas

Fevereiro

Fevereiro

*4 oficinas

O processo de restauração das peças, sua composição gráfica e trajeto no país e no mundo é abordado com o fim aprofundar a visita do frequentador da exposição. Através da exibição de vídeos do processo de restauração para explicar o processo de limpeza das peças da exposição, bem como de oficinas para aprendizagem do processo manual de remoção de resíduos de azulejos antigos pretende-se entender os processos que levaram até a realização da exposição.

 

 

Mesa redonda 01: Memória, Colecionismo e Museu de Território

 

Mesa redonda com explanação sobre os temas pelos palestrantes Plínio Fróes, Nelson Torzecki, Camila Torzecki, do Grupo Scenarium, Cristina Lodi, arquiteta especialista da CEZDRU Restaurações, Mario Chagas, museólogo e Professor da UNIRIO, e Raphael Hallack, historiador da arte da Tapuias Restauração. 

 

Os palestrantes abordarão os temas da memória, com foco na relação entre as lembranças individuais e a construção da memória coletiva através de objetos familiares; a prática de colecionar objetos, mobiliários e o resgate da história da casa brasileira através da sua pesquisa e exposição; a musealização do patrimônio cultural, através dos novos usos relacionados à cultura e turismo, transformando-o em múltiplos espaços para exposição, promoção e interatividade das coleções de objetos e da arquitetura, através de circuitos colaborativos de cultura e arte.

 

 

Dia 06/11/2014

Horário: 10h

Local: Galeria Scenarium

Duração total da atividade: 100 min.

 

  • Abertura: Plínio Fróes, Nelson Torzecki e Camila Torzecki: A Prática do Colecionismo. 5 min.

  • Cristina Lodi: As Lembranças Individuais e a Construção da Memória Coletiva. 20 min.

  • Mario Chagas: Museus de Território. 20 min.

  • Raphael Hallack: O Circuito Colaborativo de Arte e Cultura Scenárium. 20 min.

  • Perguntas: 30 min.

  • Lançamento de livro: “Museus, Biodiversidade e Sustentabilidade Ambiental”

  • O livro Museus, Biodiversidade e Sustentabilidade Ambiental, publicado por Espirógrafo Editorial, conta com a participação de 15 autores e foi organizado por Mario Chagas, Denise Studart e Claudia Storino a partir do Simpósio, com o mesmo nome, realizado em 2010.

 

 

 

 

 

 

 

Mesa Redonda 02: A restauração da azulejaria do Claustro do Convento de Santo Antônio no Recife-PE; Francisco Brennand – oficina de cerâmica e arte

 

Apresentação do processo de restauração da azulejaria do Claustro do Convento de Santo Antônio, bairro de Santo Antônio, em Recife, pela restauradora pernambucana Pérside Omena, diretora da Grifo Restaurações Ltda. Apresentação da obra do ceramista Francisco Brennand através da apresentação de vídeo sobre as atividades em Recife-PE, por Marinez Texeira.

 

Dia 07/11/2014

Horário: 10h

Local: Galeria Scenarium

Duração total da atividade: 90 minutos.

 

  • Abertura: 5 min.

  • Intervalo: 10 min.

  • Pérside Omena: 30 min.

  • Vídeo sobre a obra de Francisco Brennand

  • Perguntas: 30 min.

  • Encerramento: 5 min.

 

 

Mesa Redonda 05: História da azulejaria no Brasil, Casas do Patrimônio, Educação e Arte 

 

Apresentação da linha histórica da azulejaria no Brasil em consonância com a linha do tempo da exposição “Azul Cobalto, Azulejos e Memórias”, por Dora Alcântara, arquiteta, professora e especialista em azulejaria portuguesa no Brasil. Os projetos sócio-culturais do Instituto Rio Scenarium serão apresentados pela diretora Natércia Rossi, na perspectiva da formação, promoção e desenvolvimento sustentável e da economia da cultura. O Projeto Portinari será apresentado pela arte educadora Suely Avelar. O Superintendente do IPHAN-RJ irá desenvolver o conceito da construção das Casas do Patrimônio e as atividades desenvolvidas no Rio de Janeiro, nas Casas de Quiçamã, São Pedro da Aldeia, Petrópolis, Paraty, Rio de Janeiro e Vassouras.

 

Dia 21/11/2014

Horário: 10h e 15h

Local: Galeria Scenarium

Sessão da manhã – 95 minutos

 

  • Abertura: 5 min.

  • Dora Alcantara – 60 minutos

  • Debates: 30 minutos

  • Sessão da tarde – 90 minutos

  • Natércia Rossi – coordenadora do Instituto Rio Scenarium – 20 minutos

  • Sueli Avelar: 20 min. – educadora do Projeto Portinari - 20 minutos

  • Ivo Barreto – Superintendente do IPHAN-RJ - 20 minutos

  • Debates – 30 minutos

 

 

Mesa redonda 04: Coleções modernas e os artistas contemporâneos 

 

Apresentação do vídeo sobre a restauração do painel de azulejos do artista, ceramista, paisagista e pintor, Burle Marx, elaborado pelo Instituto Moreira Salles; depoimento e exibição de vídeo sobre a produção atual do Coletivo MUDA, um grupo formado por designers e arquitetos, baseado no Rio de Janeiro, que busca o desenvolvimento da arte através de experimentações que tem como principal suporte o cenário urbano. Seus trabalhos consistem em painéis formados por módulos de azulejos e ladrilhos hidráulicos que em conjunto compõem um desenho de padronagens, combinando o clássico e o contemporâneo.

 

Dia 11/11/2014

Horário: 10h

Local: Galeria Scenarium

Duração total: 100 min.

 

  • Abertura: 5 min.

  • Claudia Storino: 30 min.

  • Coletivo MUDA: 30 min.

  • Perguntas: 30 min.

  • Encerramento: 5 min.

 

 

Mesa redonda 03: As técnicas e o processo de restauração de azulejos da Coleção Scenarium 

 

Explanação das técnicas e dos processos de restauração utilizados na preparação dos azulejos para a exposição, com o restaurador Juba Mello, da Velatura Restaurações e as graduandas em Conservação e Restauração da Escola de Belas Artes da UFRJ, Julia Muramaki, Kliwem Querasian e Tamila Quim. Mesa de debate com os participantes em arguição do público, e apresentação do filme/ making- off da restauração dos azulejos da Coleção Nelson Torzecki, de agosto a novembro de 2014.

 

Dia 07/11/2014

Horário: 15h

Local: Galeria Scenarium

Duração total: 100 min.

 

  • Abertura: 5 min.

  • Juba Mello – 20 min.

  • Julia Muramaki: 10 min.

  • Intervalo: 10 min.

  • Kliwem Querasian: 10 min.

  • Tamila Quim: 10 min.

  • Perguntas: 30 min.

  • Encerramento: 5 min.

 

 

Oficina 02: Criação de azulejos com técnica de estampilha

 

Reprodução dos motivos das peças da coleção pela técnica de estampilha, que consiste em decorar azulejos com desenhos simples e pintado pelo processo de colocar um molde de papel ou acetato sobre o vidrado do azulejo, permitindo criar uma matriz para cada cor aplicada com uma trincha.

 

 

Oficina 01: Conservação de azulejos

 

Tem como objetivo habilitar os participantes a utilizar técnicas de conservação em azulejos, bem como promover uma reflexão acerca da importância da preservação através da conservação. Terá como público alvo pessoas interessadas em conservação. A oficina se dará em 2 módulos em dias distintos com o máximo de 10 inscritos.

 

 

 

 

 

 

Mesa redonda e visita guiada | 7 de março | 9:30 às 13:00 horas

 

A Galeria Scenarium, através do programa educativo da Exposição Azul Cobalto, Azulejos e Memórias, convida para mesa redonda e visita guiada, no dia 07 de março, sábado, das 9:30 às 13:00 horas, com a seguinte programação:

 

9:30h – chegada do público

 

10h – abertura, com a curadora da exposição, Cristina Lodi - Arquiteta, Mestre em patrimônio cultural pela Universidade de Columbia, Nova Iorque, USA.  Tema: Memória e Patrimônio.

 

10:20h – palestra da Professora Graça Ferreira, com especialização em restauro de azulejos no museu nacional do azulejo de Lisboa.

Tema da dissertação de doutorado Cenas Marianas da azulejaria 

portuguesa do século XVIII.

 

10:50h – palestra com a Professora Dora Alcântara, arquiteta, aposentada pelo IPHAN, especialista com diversos trabalhos publicados sobre azulejaria portuguesa no Brasil. Tema: Aspectos da azulejaria portuguesa no Brasil.

 

11:30h - palestra do Professor Luís Jorge Rodrigues Gonçalves (Lisboa, 1962), da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, onde leciona disciplinas da área da História da Arte, do Patrimônio Cultural e da Museologia/Curadoria. Tema: As narrativas do património cultura e artístico, procurando uma visão integrada e quotidiana dos patrimónios.

 

12h - Encerramento com visita guiada à exposição.

 

Resumo da Palestra do convidado internacional, Prof. Luís Jorge Rodrigues Gonçalves - 

A arte do azulejo, em Portugal, tem uma tradição que remonta ao século XV, desenvolvendo-se ao longo dos séculos com uma linguagem própria de influências múltiplas: árabe, espanhola, italiana, indiana, chinesa e holandesa. Era uma arte que respondia as necessidades quotidiana, religiosas e decorativas, elaborada por artistas com grande capacidade técnica ou pequenos artesãos, em oficinas muito rudimentares.

Na conferencia, pretende-se dar uma perspectiva da evolução do azulejo em Portugal, suas aplicações e como se foi capaz de desenvolver uma linguagem própria durante os seis séculos.

 

 

 

Coordenador de Educação

Bruno Marquesi

 

Coordenadora Geral

Maria Cristina Lodi

 

 

Inscreva-se para assistir as mesas redondas e oficinas.

Vagas limitadas!

- Catalogação Preliminar -

Coleção de Azulejos Nelson Torzecki

 

Elaborado pela pesquisadora Camila Torzecki, do Instituto Rio Scenarium, buscando a organização preliminar do acervo da Coleção de Azulejos Nelson Torzecki. Esta pesquisa ainda se encontra em andamento, e suas informações estão sujeitas a revisão.